Ribot e Cline na DownBeat

•07/11/2012 • Deixe um comentário

Boa entrevista com Marc Ribot e Nels Cline, dois anti-heróis da guitarra, para a conceituada revista de jazz: http://www.downbeat.com/digitaledition/2011/DB201107/24-25.html

 

Jeff Beck ao vivo no Japão na tour de ‘Who Else’ – show completo.

•05/11/2012 • Deixe um comentário

Imperdível. Um dos melhores registros do mestre ao vivo, na turnê que marcou sua volta, depois de quase uma década sem discos próprios (Crazy Legs, um tributo a Cliff Gallup, e Frankie’s House, trilha de um documentário, foram lançados nesse ínterim, mas não sob o nome de Beck).

Para variar, montou uma super-banda, composta pela virtuose do tapping, Jennifer Batten, que ficou a cargo dos riffs modernos e das partes de sintetizador de Jan Hammer e Tony Hymas (infelizmente, não reproduziu o Rhodes magnífico de Max Middleton), o baixista Randy Hope-Taylor e Steve Alexander nas baquetas.

Beck é conhecido por ser irregular em sua performance – se num dia não está inspirado, a mágica não acontece. Mas, quando está… E esse registro, definitivamente, captura um dia iluminado. A primeira música ainda revela um Beck aquecendo… da segundo em diante, no entanto, pega fogo.

Enjoy.

Novo disco do Dinossaur Jr. na íntegra

•11/09/2012 • Deixe um comentário

Curto muito o som da banda, e o estilo de tocar do J. Mascis é genialmente tôsco, um anti-herói da guitarra com muita personalidade. Só admito que os vocais deixam a desejar…

Apesar de conhecido usuário de Jazzmasters e 3 full-stacks Marshall (um Hi-Watt tem sido comum também), J. Mascis há anos utiliza Telecasters (para solos) e Les Paul Junior com P90s (para bases) em estúdio, onde também usa amps como pequenos Fenders Tweed e Vox Ac15.

Enjoy.

http://www.npr.org/2012/09/09/160628084/first-listen-dinosaur-jr-i-bet-on-sky

O estranho dia em que uma válvula chinesa sem marca superou uma JJ toda prosa.

•10/09/2012 • 8 Comentários

 

Tinha eu uma Ecc83s da JJ aqui dando sopa; fora utilizada no meu Mesa Dc-2. Quando o vendi, vendi também todas as válvulas que tinha. Só sobrou essa. Qdo fiz o retube do Dc-2, a diferença foi incrível, o som antes meio apagado realmente ganhou vida.
Daí, resolvi pegar a pequena órfã e colocá-la pra trabalhar na posição da V1 no meu novo Vox Ac15C1. 
Depois de meia-hora desaparafuseando os 16 (16!!!) parafusos da tampa traseira, e dois minutos trocando a válvula, deixei o amp esquentar e parti pra ignorância, tocando em volume (quase) de palco aqui em casa mesmo, e mantendo toda a setagem de EQ igual ao que tenho usado.
Pra minha surpresa… Cadê os graves? Sonzinho magro que só… O canal Normal realmente perdeu o sentido de ser – ficou anêmico. Assim, era um som aproveitável, mas longe da “cremosidade” (desculpem) que antes apresentava.
O Top Boost não posso dizer que piorou; ficou diferente. Ficou mais magro tb (sendo que atocho os graves nesse amp, e em quase todo amp que toco), mas distorceu mais, num drive bonito. Caiu o headroom, o que pra mim não é o que eu procurava, mas ficou um drive muito bacana.

Enfim… 15 minutos tocando, e não tive dúvida… voltei a V1 pra válvula chinesa sem marca que veio com o Ac15. E o som voltou a ser o que era – bom pra cacete. 

Show do Wilco em streaming

•16/08/2012 • Deixe um comentário

Sim, streaming para todos os gostos. Vai ou Wilco. De um dos dois você deve gostar. Espero.

http://www.npr.org/event/music/156932363/wilco-live-in-concert-newport-folk-2012

 

Enjoy.

Novo disco do Vai em streaming

•15/08/2012 • Deixe um comentário

Quer ouvir o disco novo do Vai? Então, vai lá: http://music.aol.com/new-releases-full-cds/#/4

 

Mais sobre Tom Morello

•03/08/2012 • Deixe um comentário

Já postei sobre Tom Morello aqui. Mas, não custa postar de novo (e o post antigo você pode ler aqui).

 

 

Morello é um cara genial. E um dos guitarristas de rock mais influentes dos últimos 20 anos. Sua abordagem ao instrumento, que mistura raízes do virtuosismo calcado nos anos 80 e guitar-heroes como Al DiMeola e Randy Rhoads, com a influência da cultura hip-hop e a sonoridade de djs, foi um sopro de novidade num período em que muita gente se perguntava se ainda existia espaço para guitarra no rock e na cultura jovem em geral.

Enfim… Pra quem se interessa por ele e seu som, seguem alguns vídeos mais, um sobre suas guitarras e outro uma espécie de vídeo-aula/workshop (não deixe de ler o artigo anterior, aqui).

Enjoy.